Editora Reflexão

500 anos da Reforma - Em busca de um novo jeito de fazer teologia

Autor(a): RODRIGO CONDEIXA 

ISBN:9788580882896

Páginas: 202

Formato: 16,0x23,0

Avaliação:


  • De: R$ 54,90
  • Por: R$ 43,92

ou 10x de R$ 4,39 sem juros no cartão

Comprar

Comprar com 1-Click

Texto para a Descrição do livro no site

 

A Reforma nasce como uma proposta (dimensão positiva): na busca por um novo modo de fazer teologia e espiritualidade, marcada fundamentalmente pelo retorno à autoridade da Revelação bíblica. Mas, essa busca não terminou com a Reforma. Pelo contrário. A Reforma foi somente o começo de novas possibilidades para o cristianismo evangélico: o estopim de um movimento de retorno às Fontes. O fogo aceso no XVI não se apagou. Suas intuições fundamentais permanecem vivas e atuais. Neste sentido, nada mais marcante do que a busca pelo verdadeiro espírito protestante, sua pertinência e relevância para os dias de hoje, em pleno alvorecer do século XXI: quinhentos anos depois sua mensagem pautada na centralidade do Evangelho da Graça e da Vida é mais atual do que a última manchete do jornal do dia. Donde é possível afirmar a frutífera possibilidade de intersecção entre o espírito protestante e a racionalidade sensível: numa época de crise ou de mudança epocal pela qual passamos como civilização. Por isso, a importância de dialogar com novos interlocutores, pois estes nos interpelam (como cristãos), a interpretar e encarnar a Revelação diante de outro horizonte histórico-cultural. O que implica numa disposição de ouvir atentamente (reverentemente) outras possíveis questões até então negligenciadas, ou mesmo não percebidas pela teologia. Implica, igualmente, rever posturas e interpretações tidas como definitivas, mas que são (sim!) carentes de uma (re)leitura mais acurada e lúcida (outra leitura da revelação e dos temas da fé). Mas, para que tal empresa torne-se viável, é preciso discernir “tempos e épocas”, pois hoje experienciamos, interpretamos e comunicamos o Evangelho diante de outro horizonte de sentido. Por isso, nada mais instigante do que pensar uma nova racionalidade teológica e um novo ethos (inspirado no melhor da tradição protestante) num contexto como esse: de profunda crise ética/espiritual pela qual passa o protestantismo brasileiro (não somente o evangelicalismo popular). Em busca de uma identidade mínima, no horizonte pós-moderno, na Terra de Santa Cruz (que aponta para a necessidade da inculturação da fé16). Por isso, nada mais atual do que pensar uma teologia cristã protestante para os dias de hoje (e um novo ethos), especialmente porque comemoramos os 500 anos da Reforma Protestante.